Não se esqueça do e-mail

Tá todo mundo nas redes sociais, e tá todo mundo produzindo conteúdo. Você já começou a pensar em um jeito de convencer sua equipe a gravar uma coreografia no tiktok – até já montou a coreografia. E eu venho aqui falar de e-mail. Sim, e-mail, essa ferramenta tão retrô.

A rede social da vez muda de maneira vertiginosa. Os códigos de comunicação de cada canal, também. O funcionamento do algoritmo, então, nem se fala – esse ser onipresente e misterioso para quem devemos fazer uma oração todas as noites. E o e-mail…continua lá. Sem muito alarde, febre ou novidade. O primo preterido das redes sociais.

Mas peço só um minutinho da sua atenção para falar de algumas vantagens do e-mail. Por exemplo, enquanto nas redes sociais você depende do algoritmo, da disponibilidade do receptor em estar online e disposto a interagir, e da sorte para que sua mensagem seja entregue para a pessoa certa, no momento certo, no caso do e-mail você tem algum tipo de controle.

O e-mail não depende do grande deus do algoritmo; logo, você sabe que sua mensagem será entregue para uma pessoa específica em um determinado dia ou horário. Mesmo que o destinatário opte por não abrir a mensagem naquele momento (ou nunca, não é? Isso também pode acontecer), a mensagem estará lá. Com o e-mail, você consegue inclusive monitorar exatamente quem abriu sua mensagem, quando, quem interagiu com ela, e como.

O e-mail também permite que você customize a mensagem de maneira muito mais pessoal. Você provavelmente tem mais detalhes dos integrantes de sua base de contatos, o que permite segmentar o envio de e-mails de acordo com determinadas características ou preferências do seu público – e até mesmo enviar mensagens de aniversário, ou com detalhes de um assunto que você já sabe que interessa àquela pessoa, ou grupo de pessoas.

Além disso, o e-mail, por ter menos distrações (leia-se vídeos de gatinhos, memes e cantadas do Mario Júnior em atualizações eternas), permite com que o destinatário foque no conteúdo da mensagem, escolha e planeje o momento de interagir com o seu conteúdo, e até aloque algum tempo para tomar alguma ação (clicar no link para o seu blog ou acessar detalhes de uma promoção, por exemplo).

É claro que a comunicação por e-mail tem seus próprios desafios, e que a presença em outras redes pode e deve ser considerada. Ninguém está te pedindo pra desistir da ideia da tal coreografia. Mas pense com carinho no que a comunicação por e-mail pode fazer por você e pela sua marca, sem que você precise ensaiar passinhos com sua equipe.