Fadiga de rede social – estamos todos exaustos?

Você já entrou em uma rede social para stalkear alguém específico e, quando se deu conta, estava fazendo outra coisa e não lembrava mais qual era o objetivo inicial? Já se sentiu cansado/a/e de tanta informação que desistiu de pesquisar sobre um assunto? Ou ainda, ficou tão frustrado/a/e com o tempo gasto nas redes que acabou decidindo excluir sua conta por algum tempo? Se você respondeu “sim” para alguma dessas perguntas, você pode estar sofrendo de fadiga de redes sociais.

O impacto das redes sociais na saúde mental

Fadiga de redes sociais é a exaustão mental causada pelo bombardeio de tecnologia, informações e interações durante a utilização de múltiplas redes sociais. Estudos apontam que dificuldade de concentração, esquecimento, apatia e emoções negativas são alguns dos sintomas desse mal contemporâneo.

Nosso cérebro só consegue processar uma quantidade limitada de informações ao mesmo tempo. De acordo com pesquisadores, as redes sociais sobrecarregam o cérebro, excedendo o “limite de processamento” e causando impactos físicos, mentais e emocionais.

Isso acontece porque, para processar o excesso de informação, o cérebro deixa de alocar energia para outras atividades, como a memória e a capacidade de regular e controlar o humor. O uso excessivo de redes sociais pode inclusive contribuir com quadros de ansiedade e depressão.

 

Fadiga de redes sociais x engajamento

A fadiga foi apontada em alguns estudos como uma das causas da diminuição do engajamento com algumas redes sociais ao longo do tempo. Apesar do numero de usuário das plataformas aumentar continuamente, há uma tendência na redução de atividades individuais, como postagens e atualizações, algum tempo após a adesão.

Se por um lado há pesquisadores tentando identificar escalas de fadiga de redes sociais e suas consequências, por outro, as atualizações recentes nos algoritmos têm demandado bastante dos usuários em termos de quantidade/frequência de postagens e atualizações, caso desejem alcançar uma audiência maior.

Embora engajamento pressuponha que qualidade é mais importante que quantidade, é difícil ser visto postando pouco, especialmente quando há tanta gente competindo por audiência. Ainda não há estudos sobre como criadores de conteúdo e as próprias plataformas poderiam ajudar a mitigar a fadiga das redes sociais e contribuir positivamente com o bem-estar e saúde mental dos usuários.

Tornou-se recorrente dizer que todos os empreendedores de hoje em dia precisam também ser blogueiros, saber produzir vídeos e aderir às tendências de comunicação das plataformas de conteúdo mais recentes. Em virtude da fadiga das redes e da diminuição natural da atratividade das redes velhas quando surgem novas redes e novos formatos de comunicação, é importante que produtores de conteúdo e todos aqueles interessados em se comunicar através das redes sociais pensem de que maneira o engajamento e outras demandas do algoritmo poderão ser mantidos sem que sejamos todos levados à exaustão.